Welcome

Welcome - Restricted access

Skip to end of metadata
Go to start of metadata

(info)  ATUALIZAÇÕES EM CURSO

A documentação do Erasmus+ e do Corpo Europeu de Solidariedade está a ser atualizada para refletir as alterações introduzidas pelo novo processo de registo de organizações em vigor a partir de 22 de outubro de 2019. Como regra, deverá considerar-se que a URF é substituída pelo Sistema de Registo de Organizações e que o PIC é substituído pelo ID da Organização (Organisation ID), embora ainda seja possível encontrar referências à URF e ao PIC em algumas páginas e gráficos.



Explicação do Processo de Candidatura


Na página seguinte descreve-se o processo de candidatura para potenciais candidatos a uma subvenção da UE no âmbito do Programa Erasmus+.

Os candidatos utilizarão os Formulários Erasmus+ específicos de cada Ação. Estes são geralmente disponibilizados no website da Comissão Europeia e, em certos casos, nos websites das Agências Nacionais. Para submeter um projeto Erasmus+, os candidatos têm que seguir as etapas abaixo descritas.



CenárioIlustraçãoPáginas relacionadas
1.

Antes de os formulários de candidatura poderem ser preenchidos, o candidato tem de possuir credenciais EU login. O Serviço de Autenticação EU Login (anteriormente ECAS) é uma plataforma de autenticação de utilizadores para uma gama vasta de sistemas de informação da Comissão. Trata-se do primeiro passo para o registo, como organização ou indivíduo para aceder a certas ferramentas de TI tais como o Portal do Participante (URF).


2.

A organização ou o indivíduo só necessitam de se registar uma vez no Portal do Participante (URF). Depois de concluído o registo, a organização/o indivíduo obterá um Código de Identificação de Participante (PIC).

O PIC é um identificador único e necessário para a submissão de candidaturas. Permite que a organização/grupo preencha o formulário de candidatura eletrónico Erasmus+ de uma maneira mais simples (isto é, inserindo o número PIC no formulário, todas as informações fornecidas pela organização/indivíduo em fase de registo ficarão automaticamente preenchidas no formulário).


3.

Para a maioria das Ações do Programa, os candidatos têm que submeter online a sua candidatura à Agência Nacional certa do seu país, usando o formulário eletrónico correto e incluindo todos os anexos solicitados.

O formulário eletrónico tem que ser preenchido numa das línguas oficiais dos Países do Programa.


4.

Antes de dar início à candidatura, é conveniente consultar a informação seguinte sobre os Formulários de Candidatura Eletrónicos, pois há alguns critérios a observar para que a submissão tenha sucesso.

  • Os campos obrigatórios são vermelhos.
  • Logo que todos os campos obrigatórios estejam preenchidos e as regras de submissão cumpridas, as secções serão marcadas com um sinal de visto verde. Caso uma secção esteja assinalada com um sinal de aviso vermelho, isto significa que falta alguma informação ou que nem todas as regras foram respeitadas.
  • Depois de encerrar o formulário, é possível aceder a ele através do separador As Minhas Candidaturas na página inicial.


5.

Quando o preenchimento do formulário estiver concluído, clica-se em Submeter para apresentar a candidatura.

É possível reabrir e voltar a submeter um formulário até ao final do prazo de candidatura. A reabertura do formulário é feita a partir do separador As Minhas Candidaturas na página inicial.


6.

Todas as candidaturas recebidas pelas Agências Nacionais são sujeitas a um processo de seleção. As propostas de projeto são analisadas pela Agência que recebe a candidatura, com base, exclusivamente, nos critérios estabelecidos.

Após o processo de avaliação, a Agência Nacional decide quais os projetos a financiar. Logo que o processo de seleção esteja concluído, a AN contactará a organização ou o indivíduo para dar conhecimento dos resultados do processo de seleção.

Como fazer isto nas ferramentas