FARNET
Fisheries Areas Network

Good Practice Project

Salina Greens – Farming organic Salicornia on abandoned salt marshes

  1. pt
  2. en
  3. fr
  4. it
Country:
Region: 
«Salina Greens» é uma empresa portuguesa dedicada à produção e transformação biológica de salicórnia, uma planta nativa que cresce em pântanos de água salgada. Este sistema de produção contribui para a preservação de zonas com elevado valor ambiental promovendo simultaneamente a economia local.

Description

O consumo de salicórnia tornou-se recentemente popular entre os portugueses. Apesar disso, apenas algumas explorações de agricultura biológica cultivam esta espécie. Com o objetivo de preencher esta lacuna do mercado, Márcia Pinto, ma bióloga que se dedica há mais de dez anos aos pântanos de água salgada, fundou a «Salina Greens».  É a primeira pessoa a cultivar salicórnia aplicando o método biodinâmico Demeter (uma técnica de agricultura biológica).

Com o seu projeto, esta bióloga visa simultaneamente estimular a economia local e contribuir para a preservação do frágil ecossistema dos pântanos de água salgada. A maior parte dos terrenos pantanosos (que cobrem centenas de hectares na região), que eram anteriormente utilizados para a produção de sal marinho, foram abandonados nas últimas décadas. Sem a intervenção humana, estas zonas de elevada biodiversidade correm o risco de desaparecer. O cultivo de salicórnia representa uma solução sustentável para combater a degradação dos pântanos. Além disso, esta planta revela uma elevada resistência às alterações climáticas.

Com o apoio do GALP ADREPES, a «Salina Greens» candidatou-se a financiamento no âmbito do FEAMP para a aquisição de equipamento para secar e triturar as plantas frescas. Estas operações são essenciais para a venda das plantas para a indústria dos cosméticos ou farmacêutica, acrescentando valor à atividade agrícola. Tendo começado em 2016 com 600 m2 de terra cultivada, área essa que foi duplicada no ano seguinte, o objetivo da «Salina Greens» é cultivar 1 hectare (isto é, 10 000 m2) de pântanos de água salgada até 2021. Tal representaria uma colheita anual de 50 toneladas de salicórnia.

Ao longo dos últimos anos, a «Salina Greens» desenvolveu relações comerciais com vários supermercados portugueses, bem como com algumas empresas internacionais no setor dos cosméticos e da farmácia. Além disso, a empresa desenvolveu parcerias com a fundação responsável pela gestão dos pântanos a nível local e com um grupo de investigadores da Universidade de Lisboa especializados em plantas halófitas (plantas que crescem em pântanos de água salgada). Esta parceria permite à «Salina Greens» aprofundar o seu conhecimento sobre as plantas. Dado que recentemente o tema começou a atrair bastante atenção, a empresa espera desenvolver relações de cooperação com mais grupos de investigação.

O GALP ADREPES ajudou esta empresa muito jovem e pequena a preparar a candidatura ao financiamento e apoiou-a na comunicação com as autoridades nacionais. Durante a fase de execução do projeto, o GALP também pôde prestar apoio à empresa graças à sua longa experiência na gestão de projetos.

Results: 

Com o financiamento do FEAMP, a «Salina Greens» pôde investir numa máquina de virar o estrume – essencial para o método de cultivo Demeter – bem como equipamento para o processamento e distribuição, como um secador solar e um veículo com refrigeração. Os produtos frescos têm vindo a ser gradualmente introduzidos nos supermercados portugueses. Além disso, os produtos dessecados estão a começar a ser exportados; por exemplo, para a empresa de cosméticos LUSH, que importa pó orgânico de salicórnia. A «Salina Greens» também iniciou uma parceria com um restaurante vegetariano local.

Transferability: 

Embora os pântanos de água salgada só existam nalguns locais da Europa, este projeto incentiva os atores locais a analisarem de perto o meio envolvente e a desenvolverem conceitos inovadores para criar valor a partir de locais supostamente improdutivos. Este projeto é um bom exemplo de como a articulação da atividade económica com a proteção do ambiente pode beneficiar as comunidades.

Lessons & contribution to CLLD objectives: 

Ensinamentos:

Criar um novo negócio pode representar um desafio. No caso da «Salina Greens», a parte mais difícil foi a obtenção de licenças para lançar a empresa. Nem o Ministério da Agricultura nem o Ministério do Mar foram capazes de prestar informações adequadas sobre o quadro legal aplicável. Por conseguinte, foi crucial para Márcia Pinto perseverar e criar vínculos com parceiros locais para demonstrar a sua determinação em encontrar soluções face à complexidade do sistema de financiamento.

  • Contribuição para o objetivo DLBC: Acrescentar valor e promover a inovação em todas as fases da cadeia de produção dos produtos da aquicultura.

Funding

Total project cost €82 797
FLAG grant €82 797
  • EU contribution (EMFF): €49 678
  • Public contribution (national): €33 119
Beneficiary contribution €33 119

Project information

Timeframe of implementation From Mar 2017 to Dec 2019
Sea Basins
Type of area
Theme

Beneficiary

Salina Greens

Contact details

FLAG Contacts

Ms. Natália Henriques
+351 21 233 7930
Portugal
Publication date: 
27/06/2019
PDF Version