FARNET
Fisheries Areas Network

Good Practice Project

Melhores dados de salinidade e temperatura para melhorar a recolha de ostra-plana

Country:
Region: 
Os ostreicultores do sul da Bretanha instalaram uma boia multissensor de alta frequência para ajudar a compreender o assentamento de larvas de ostra-plana, um recurso essencial na área.

Description

As ostras reproduzem-se libertando os seus óvulos e esperma na água, onde ocorre a fertilização. São então criadas pequenas larvas, nas quais, após 2 a 3 semanas, crescem pernas que «assentam», fixando-se a uma superfície sólida, onde são conhecidas como «larvas». As ostras permanecem assim fixas à medida que crescem. Em França, as duas principais áreas de recolha de ostras-planas são a Baía de Brest e a Baía de Quiberon, ambas na Bretanha. As populações de ostras selvagens, a principal fonte de larvas para a reprodução desta espécie em cativeiro, estão cada vez mais ameaçadas pelas alterações climáticas e pela ação humana, que pioram a qualidade da água e dão origem a grandes flutuações de temperatura. A desova das ostras está a tornar-se menos previsível, o que está a dificultar a recolha de larvas para cultura.

Estudos realizados localmente pelo Instituto Francês de Investigação para a Exploração do Mar Ifremer associaram condições ambientais, como a temperatura e a salinidade, à desova das ostras, o que tem um impacto direto na qualidade e quantidade do assentamento de larvas. Assim, o Comité regional de produtores de moluscos do sul da Bretanha apresentou uma proposta de projeto para a instalação de uma boia multissensor de alta frequência para recolher dados sobre estes parâmetros. Isto permitir-lhes-ia analisar as mudanças no ambiente natural das ostras e determinar o melhor momento para recolher a larva. Por sua vez, levaria a uma recolha mais eficiente de larvas e ao aumento da produção de ostras.

O GAL PESCA de Auray-Vannes desempenhou um papel fundamental com o apoio da candidatura ao financiamento do CLLD e a coordenação dos parceiros do projeto. A boia é um dos primeiros dispositivos deste tipo em França, mas após o seu primeiro contacto com esta nova tecnologia, o setor da conquilicultura já está a pensar em medir outros parâmetros, tais como a clorofila e os poluentes.

Results: 

A boia foi instalada em setembro de 2018 numa exploração de ostras na Baía de Quiberon. Quase não tem impacto ambiental, pois flutua acima de um fundo marinho já utilizado para a conquilicultura. O sensor mede a temperatura e a salinidade da água a cada 20 minutos e envia os dados para uma plataforma online duas vezes por dia. Estes dados podem ser utilizados por toda a comunidade de conquilicultura e pelos institutos de investigação que participam no projeto. Podem ser convertidos em gráficos, que os ostreicultores e investigadores podem utilizar para desenvolver modelos e melhorar a sua compreensão do ambiente.

Trinta meses de recolha de dados mostraram que a salinidade do mar diminui com a chuva, quando os caudais dos rios aumentam. Esta informação está a ser utilizada por projetos regionais, tais como o FOREVER (Flat Oyster Recruitment and Growth), um projeto de três anos financiado no âmbito da apresentação de projetos de inovação na aquicultura do FEAMPA para o restabelecimento de stocks de ostras-planas na Bretanha.

Transferability: 

Para replicar este tipo de projeto é necessária uma boa relação entre piscicultores e conquicultores e investigadores. Os dados têm de ser úteis para todos os parceiros envolvidos no projeto, uma vez que serão responsáveis pela manutenção dos dispositivos e pela análise dos dados. A informação recolhida pode ser utilizada para proteger o ambiente e para melhorar a eficiência da produção.

Lessons & contribution to CLLD objectives: 

Ensinamentos: Para que o projeto tenha um impacto real na comunidade local, é necessário ter em mente a manutenção a longo prazo e a monitorização dos dados. Todas os intervenientes envolvidos (conquicultores, organizações científicas e laboratórios) têm de chegar a acordo sobre o procedimento e sobre que dados devem ser recolhidos. A localização dos dispositivos de medição é particularmente importante, para garantir a recolha correta de dados relevantes, reduzindo ao mesmo tempo o impacto no ambiente.

Contribuição para o objetivo DLBC: (c) intensificar e capitalizar os recursos ambientais das zonas de pesca e de aquicultura, incluindo operações para atenuar as alterações climáticas

Funding

Total project cost €17 554
FLAG grant €17 554
  • EU contribution (EMFF): €8 777
  • Public contribution (national): €8 777
Beneficiary contribution €4 388

Project information

Timeframe of implementation From Mar 2018 to Dec 2021
Sea Basins
Type of area
Theme

Beneficiary

Comité Régional Conchylicole de Bretagne Sud

Contact details

FLAG Contacts

Ms. Marion Mazodier
+33 2 22 76 03 59
France
Publication date: 
10/05/2021
PDF Version